Just in Time

Archive for the ‘meus trecos’ Category

Barriga é barriga, peito é peito e tudo mais.
Confesso que tive agradável surpresa ao ver Chico Anísio no programa do Jô, dizendo que o exercício físico é o primeiro passo para a morte. Depois de chamar a atenção para o fato de que raramente se conhece um atleta que tenha chegado aos 80 anos e citar personalidades longevas que nunca fizeram ginástica ou exercício – entre elas o jurista e jornalista Barbosa Lima Sobrinho – mas chegou à idade centenária, o humorista arrematou com um exemplo da fauna: A tartaruga com toda aquela lerdeza, vive 300 anos. Você conhece algum coelho que tenha vivido 15 anos?

Gostaria de contribuir com outro exemplo, o de Dorival Caymmi. O letrista, compositor e intérprete baiano é conhecido como pai da preguiça. Passa 4/5 do dia deitado numa rede, bebendo, fumando e mastigando. Autêntico marcha-lenta, leva 10 segundos para percorrer um espaço de três metros. Pois mesmo assim e sem jamais ter feito exercício físico, completou 90 anos e nada indica que vá morrer tão cedo.

Conclusão: Esteira, caminhada, aeróbica, musculação, academia? Sai dessa enquanto você ainda tem saúde…!!!!! E viva o sedentarismo ocioso! Não fique chateado se você passar a vida inteira gordo. Você terá toda eternidade para ser só osso!!!
Então: Não faça mais dietas! Afinal, a baleia bebe só água, só come peixe, faz natação o dia inteiro, e é GORDA!!! Viva a batata frita e o chopp!!!

Anúncios

E se eu assoviar aquela música que ele sempre gostou… Será que ele volta?

Um dia eu disse, como quem diz que o leite da geladeira acaba, acabou. Simples assim, acabou! E fui embora. Fiquei sabendo que a dor dele foi tanta que chegou a ser física. Até nossos parentes tentaram reconciliar o que eu sempre olhei torto: o amor. Por 791 dias eu tentei. Até o momento em que bati a porta de casa e me vi de frente com a plaqueta de madeira: – “Aqui mora gente feliz”. Só se fosse ele.

Sou réu confessa, deixei de acreditar que viver em dupla seria melhor do que viver sozinha. A vida depois daquele dia soou como valsa, aonde a mulher ia embora e não sentia falta (e tão pouco voltava).

A vida trouxe novos acontecimentos, a solidão não era tão só. Às vezes me pergunto por que diabos eu fui embora? Simples, eu era egoísta. Amar exige companheirismo, confiança e satisfação. Confio em mim e no meu corpo de quase modelo. Do que mais eu precisava?

Eu gosto de viver a minha vida, ter a liberdade de ir e vir, satisfazer minhas vontades sejam elas quais forem. Perguntaram-me por vezes intermináveis se o amor tinha acabado. Não, eu acho que não sei o que é amor. Amor se é amor, tem chance de acabar? Acho que não acabou, mas precisava com urgência de ser adiado. E continuar ali sim seria ver o fim. Eu fui embora porque eu gosto de correr risco, e com ele eu não corria nenhum.

Mas hoje eu queria tudo aquilo de novo. Hoje ninguém me chamou pra sair, vários amigos foram viajar e eu tive que ficar trabalhando. Acho que o tal momento de resgatar esse amor chegou. Só queria conversar com ele, brigar com ele, quem sabe. E se eu ligar pra ele e pedir para que ele volte? Não, acho que não.

Um dia ele disse, como quem me diz eu te amo, ele disse, com fraqueza na voz: – “ainda não te esqueci”.

É, mas por enquanto deixa ele lá e eu cá. Um dia tudo volta ao seu lugar. Ter vivido setecentos e noventa e um dias diferentes não me tirou a vontade e esperança de viver dias melhores.

 

 

Não me venha com as suas ironias. Quem perde alguma coisa foi porque mereceu. Quem tratou alguma coisa mal, deve ser tratado como tal. Mesmo eu não conseguindo desrespeitar o meu passado, o meu presente começa a pedir decisões a atitudes mais agressivas com aquele que sempre foi assim comigo.

Como eu sou feliz! Como meu futuro indeciso é mais confortável do que um futuro ditado. Eu sempre achei que não saber o que me reserva fim de semana que vem seria péssimo. Não é, é lindo. É um alivio poder respirar sem fronteiras sem se preocupar por quem ou pelo o que você será trocado. Seja por um telefonema, por um filme, um seriado, um amigo.

Eu aprendi que pessoas foram feitas para serem amadas. E que confusões fazem parte da vida. Só não vem se confundir para cima de mim. Eu não sou mais seu gato, tão menos o seu sapato. É. I don’t love you anymore (daquele jeito). 

Agora sai! Eu deixo você ir. Goodbye.

Broke: eu amo você Lucas, mas passamos dias sem ter uma conversa que tenha sentido. E eu sentia tanta a sua falta quando isso acontencia… mas nunca parecia que você sentia a minha. E eu acho que por isso eu parei de sentir a sua também.

Lucas: Eu amo você Broke. E eu não sei outro modo de dizer.

Broke: Que tal outro modo de mostrar? Eu não estou te afastando Lucas. Eu quero ficar com você o resto da vida, mas eu preciso que você me precise de volta.

Vamos admitir: estamos no mesmo time. Nós que tanto erramos, acertamos, suamos durante dias e noites, viramos madrugadas, nós que fazemos falta (Tanta falta!). Haja amor para tanto treino! Nós que comemoramos vitórias, que torcemos pelo outro, você que acelera meu coração em segundos, eu que faço você perder a linha com um só toque, me responda: pra que tanta regra? A vida também tem juiz? Ah, por favor. Me deixa te abraçar na hora em que seu olhar me tirar o fôlego. Pode existir escanteio, mas não existe reserva. Não gosto de jogar na defesa, não quero ninguém em meu lugar, não admito táticas e técnicas, não me venha com bola fora, não me faça perder o juízo (ele que já anda perdido). Meu passe é livre, eu vou pra onde eu quero, mas quero com você. Bola minha? Sorte sua! Já que ganhou uma vez, leva tudo. Mas leva mesmo. Eu não sou troféu, eu não gosto de jogar. Mas se for preciso, viro sua adversária só para trocar a camisa.

Tempo esgotado.

Vai querer ou vai correr?

Nesse mundo tem tanta coisa boa pra se comer…

Sorvete, batata-frita, ostra, filé, sanduba, picolé, chocolate, sushi, bolo de cenoura, gelatina, manga, macarronada, salada, morango, camarão, risoto, panqueca, miojo, suflê, hot-dog, pastel, pizza, melancia, pudim, coxinha, bacon, azeitona, caranguejo, strogonoff, salame….

Tem tanta coisa boa pra beber…

Coca-cola, suco de abacaxi, ovomaltine do Bob’s, água com gás, água sem gás, champagne, fanta laranja, água de côco, cerveja, red bull, vitamina de abacate, suco de acerola, de cupuaçu e de jaca, guaraná jesus, sminorff ice…

Tem tanta coisa boa pra fazer…

Dançar, desenhar, sorrir, beijar, banhar, cantar, tirar onda, conversar, viajar, passear, ir ao parque, ao circo, ao teatro, ao cinema, fazer compras, comer, beber, dormir, fazer amor, ouvir música, ir a um show, chorar de emoção, lembrar, estudar, ler, observar, falar..

Tantas coisas… mas nada, NADA se compara a se apaixonar. =)

Todos os dias, quando acordo, vou correndo tirar a poeira da palavra amor.

– Clarice Lispector