Just in Time

Archive for julho 2010

Mal acordei hoje porque mal dormi. Pisco o olho e vejo seu rosto. Fecho os olhos e seu olhar assustado me olhando, ontem à noite, não me sai da cabeça. E se você quer saber, tá foda mesmo. Tá foda ter que fingir que eu não to nem aí se te vejo com outra. Tá foda esperar por uma ligação que nunca acontece. Tá foda não poder te ligar porque meu orgulho idiota não deixa. Tá foda saber que você não me liga porque seu orgulho muito mais idiota que o meu não deixa. Tá foda agüentar a sua covardia e muito mais a minha que só conseguiu juntar algumas palavras toscas e escrever um texto. Tá foda fingir pra mim mesma que não tá foda toda vez que eu te vejo. Tá foda até quando eu não te vejo.

Eu não sei quantos anos a gente finge que tem, mas a gente não é adulto o suficiente pra conversar como deveria. Eu não sei o que essa merda desse orgulho idiota faz na vida da gente que não deixa a gente ser a gente e simplesmente viver. Que não deixa a gente se entender. Que não deixa a gente se querer mesmo sem entender. Eu não sei e se soubesse também não saberia explicar. O que eu sei é que tá foda te ver e não poder te querer. Ainda ter seu telefone e não poder te ligar. O que eu sei é que por meia dúzia de atitudes idiotas, a gente nunca mais se falou. Meia dúzia e duas pessoas idiotas.

Isso não combina comigo. Fingir que nada aconteceu, fingir que não te conheço, fingir que não te vejo e fingir que não te quero. Pro inferno com esse negócio. Já devo ter te contado que sou péssima atriz. Finjo pra mim mesma e nem eu acredito. E não acredito que você não me quer mais. Não acredito que você me viu ontem e não sentiu um friozinho na barriga. Não acredito que você só me quis por causa da minha barriga. Não acredito que a gente daria certo por mais que uma noite de festa. Não acredito na gente, na verdade. E, mesmo assim, não acredito que seja o fim.

Na verdade, não sei mais em que acredito. Eu, que já acreditei em você, não acredito em mim mesma escrevendo esse texto. Eu, agora, nada sei, só sinto. E o que eu sinto é que eu engasgo com a respiração quando você passa do meu lado. Sinto que o homem forte que você é fica sem saber o que fazer quando me vê. Sinto muito, mas a gente ainda sente. E acho que se não sentisse, a gente deixaria a porra do orgulho de lado. Sinceramente, você nunca foi meu homem-objeto como você pensava. E, no fundo, eu sei que não fui só um corpo que te fez companhia nas festas onde você nunca precisou de mais nada além da sua vodca com energético. Você sempre foi uma boa companhia e um papo inteligente. Eu sempre fui uma piada nos momentos trágicos e um carinho no seu cabelo. E, por mais que eu nunca tivesse acreditado num final feliz pra gente, eu nunca imaginei que o desfecho fosse esse. Nunca imaginei que nosso orgulho fosse separar a gente.

– Brena Braz

Anúncios

Eu iria à China por você. Então porque diabos você não dobra essa única esquina que separa nossas vidas e vem me ver? Estou cansada dos nossos mundos separados. Eu bem aqui, você bem aí e uma cordilheira inteira entre nós dois. A gente tá o tempo todo tão perto, mas pra cada metro de distância tem 100 quilômetros de motivos pra permanecermos afastados

(…)

Eu cansei de ficar em casa abafando o choro no travesseiro e também cansei de ir pra balada na tentativa de conhecer um cara que deixe de ser só um cara, mas nunca deixa porque nenhum nem sequer imita você. Eu cansei dessa paz que cheira a covardia, quero mesmo é ir à guerra por você. Nada de entregar e sair de mãos vazias, eu te dei meu ombro, meu colo, meu carinho, minha paciência e tou disposta a dar meu sangue e suor se for preciso. Eu vou ferir mais uma vez o meu orgulho e rezar pra que você faça o mesmo, porque eu tou me lixando pro meu ego. Orgulho nenhum dá beijo na boca, faz amor ou te cobre no frio. Eu não quero mais essa sensatez que me obriga a te cumprimentar com um bom dia quando eu tou morrendo de vontade de sentir a tua barba mal feita roçando no meu rosto em cima de uma cama qualquer. Eu não quero procurar novas opções, quando eu fechei a porta pra você eu abri todas as janelas, mas nenhum sol brilhou tanto quanto o seu olhar pousando no meu corpo e eu entendi que não importa quantas opções eu tenha ou quantas janelas eu abra, por nenhuma delas vai aparecer o teu cheiro, a tua voz, o teu toque. Eu não quero aceitar que aquele foi o último abraço, quero que me coloque entre os braços e me aperte, quero que jamais afrouxe, não permita mais que eu escape de você como a areia da praia escapa dos dedos. Eu não tou pedindo, tou implorando pra você cruzar a droga dessa esquina, porque eu estou a um passo de bater na sua porta e eu não quero fazer desse meu desespero um outro fim para nós, eu quero um recomeço, não vai ser a minha procura, nem a sua procura, nem a nossa procura…vai ser o nosso encontro, ou reencontro.

– Amanda Teles

  

– – –

Leitores, quero mais uma vez agradecer a todos vocês pelo carinho. O blog tem recebido MUITAS visitas diariamente e eu nunca, nem nos meus sonhos mais otimistas imaginei isso, parece até “uma mentira” como diria meu grande amigo Xande. rs
Esse blog nasceu sem nenhum intuito de fazer sucesso, eu o criei apenas pra passar o tempo e principalmente pra servir como um arquivo dos meus textos prediletos. E é muito gostoso saber que a maioria dos meus textos prediletos também são os prediletos de vocês!
Dia 21 de Julho o blog recebeu 477 visitas!!! E hoje já recebemos 206 visitas, e olha que ainda é 11:36h! Sei que perto de blogs realmente famosos isso não é nada, mas eu to me sentido! haha
Emfim, desculpa a chatice de vir aqui agradecer toda a hora à vocês, mas é porque realmente fico muito feliz com isso!
Um beijo no coração de todos que gostam do /beforeesunsett!
Que Deus abençoe cada um de vocês!
Nathy.

No começo nossa relação era uma mansão iluminada e arejada com milhares de andares, janelas e portas abertas. Aos poucos, virou um casebre pequenininho, cheio de ratos e a única porta que sobrou, servia de entrada e saída. Cada vez que eu recomeçava, era como se eu me enterrasse mais e estivesse ainda mais perto do fim. Cada vez que eu abria a porta, a vontade de cerrá-la bem forte e para sempre atrás de mim aumentava absurdamente.

A terapeuta dele, uma tia holística com voz de pata morrendo afogada, um belo dia abriu a porta do seu consultório para mim e, sem nunca ter me visto na vida e nem ouvido a minha versão, já foi logo dizendo “você estragou tudo sendo louca, quem te aguenta?” Essa frase me acompanhou pelos últimos meses não me deixando dormir, comer, trabalhar, gostar, respirar ou sorrir direito.

Mas hoje, enquanto trabalhadores são mortos confundidos com bandidos aproveito para fechar todas as minhas portas e me proteger da insanidade descontrolada do mundo. É chegada a hora do meu toque de recolher.

Começo fechando a porta do consultório da pata afogada, dizendo a ela que sim, ela tinha toda a razão: eu era realmente louca e insuportável. Mas que mulher não seria louca e insuportável ao lado de um homem que, sempre sorrindo para disfarçar que é humano, sempre em bando para disfarçar que sente fraquezas e sempre dormindo para disfarçar que está vivo, não tem a menor idéia do que quer fazer agora, daqui dez horas e daqui dez anos?

Só ele conheceu uma mulher corajosa que admitiu todos os medos, todas as neuroses, todas as inseguranças, toda a parte feia e real que todo mundo quer esconder com chapinhas, peitos falsos, bundas falsas, bebidas, poses, frases de efeito, saltos altos, maquiagem e risadas altas. Ninguém nunca me viu tão nua e transparente como você, ninguém nunca soube do meu medo de nadar em lugares muito profundos, de amar demais, de se perder um pouco de tanto amar, de não ser boa o suficiente.

Só ele viu meu corpo de verdade, minha alma de verdade, meu prazer de verdade, meu choro baixinho embaixo da coberta com medo de não ser bonita e inteligente. Só para ele eu me desmontei inteira porque confiei que ele me amaria mesmo eu sendo desfigurada, intensa e verdadeira, como um quadro do Picasso. uma mulher com todos os defeitos e loucuras que só uma grande e verdadeira mulher que ama tem.

Hoje eu fecho as portas para o ódio descontrolado de quem passa fome ao lado de grandes mansões, fecho as portas da goela estridente da véia coroca que viu sem enxergar mas acabou me fazendo ver ainda melhor quem eu sou e ter orgulho disso, aproveito para fechar de vez, para você, as portas do meu coração que de tanto pedir esmolas, estava virando bandido.

– Tati Bernardi

“… é muito bom saber que a nossa amizade é tão pura, tão perfeita, tão equilibrada, é um presente mesmo essa nossa união. Lembro a época que eu, bancando a lúcida, achava que um dia isso ia acabar… Nunca foi tão bom estar errada! Amo vocês, individualmente e coletivamente. Nathy falou sobre paixão de amigo. Eu amo e estou apaixonada! Detalhe: é tão tão bom compartilhar esse momento da minha vida com vocês… Gostaria de retribuir um dia a felicidade e a segurança que vocês me proporcionam, muita gente não deve entender por quê eu me mantenho tão bem, mas é que eu tenho motivos, fazer o quê?…”

e-mail da Thaís

“… acho que vocês não imaginam o quão importante vocês são na minha vida (digo isso mesmo, na vida, e por inteiro) a ponto de querer sua presença em vários momentos do dia, seja pra rir de coisas muito engraçadas (e muitas vezes faço papel de palhaço por rir sozinho), seja pra desabafar ou seja somente pra conversar mesmo. Enfim, tornei-me dependente de vocês, e cada um é culpado por isso….”

e-mail do Dante

“…eu sei que em vcs encontro uma felicidade verdadeira! e eu sei tbm que msm se eu brigar com algum vou perdoar no dia seguinte!!! quer dizer nao vejo jeito de ter fim!! msm se um dia alguem se afastar nós vamos continuar sendo amigos no coraçao quando lembrarmos de como era bom tudo o que faziamos!!
AMO vcs portos seguros!…”

e-mail da Josi

“…estão dizendo que hoje é dia do amigo. Achei uma boa oportunidade pra reafirmar o que, de alguma forma, estou sempre demonstrando: que eu amo vocês. Adoro ver surgir essa nova pessoa toda vez que estamos juntos, como se criássemos uma nova coisa a partir do melhor quinhão de cada um. É isso que percebo e acho lindíssimo. Sempre converso isso com vocês, sobre o quanto é importante estar junto de quem te permite ser o que você mais gosta de ser, e esta consciência se solidifica cada vez mais….”

e-mail do Xande

 

FELIZ DIA DO AMIGO!

Deu vontade de ficar mais tempo junto, deu vontade de levar essa história até o fim – e eu não tenho a menor idéia do que você pensa a respeito, a gente não conversa sobre isso, só fica fazendo uma linha nada-tem-muita-importância, ou algo assim.

– Caio Fernando Abreu

De repente. De repente. Eu deitada no sofá. Faço que estou dormindo. E você faz que está dormindo no chão. Ao mesmo tempo a gente dá a mão. E dá a outra. E daria uma terceira se ela existisse. E você fala com a voz mais baixa do mundo que não queria ter de ir embora. E eu te peço, com a voz mais baixa do mundo, pra você ficar mais uma semana. Daí fingimos que é sono. E dá vontade de rir porque nem era a hora e nem era pra isso.
(…)
E lá vou eu, a cada cinco minutos, namorar os flashes que você espalhou pela minha casa. Ainda que tudo não dê nem meia foto nossa, mal tirada. Se até o Natal você ainda gostar de mim eu prometo gostar de você também.

– Tati Bernardi