Just in Time

Archive for abril 2009

sofremos até a página sete
amamos o próximo até a página três
temos certeza absoluta até a página dois
gostamos de peixe cru até a página nove
achamos a julia roberts bonita até a página cinco
conversamos como adultos até a página seis
pensamos na camada de ozônio até a página oito
acreditamos no ser humano até a página um
aceitamos o mundo como ele é até a página quatro
mas julgamos
julgamos sempre
pela capa.

– Marcelo Ferrari

Oi! Meu nome é Nathalia, tenho 21 anos, moro no Rio de Janeiro, sou Técnica em Edificações e me formo em Letras no fim do ano.  Comecei a postar aqui por pura falta do que fazer, e hoje posto pouco por excesso de coisas para fazer!

O /beforeesunsett tem pouco mais de um ano e – surpreendentemente –  muitas visitas!!!! A não ser que este contador esteja total maluco tem gente demais vindo aqui ler as doideiras que eu posto e isso me deixa muito feliz!

Comenta cara! Fala teu nome, tua cidade, teus problemas. Fala se tá bom, se tá ruim… mas diz alguma coisa!

Diz de que planeta você é!?

Acho que eu digo tantas bobagens porque sei mesmo que no final de tudo a gente não vai se perder. As minhas palavras são ásperas porque as minha emoções oscilam, mas é tudo medo de te perder por algum motivo dessa vida e acabar tendo que me esconder nas minhas mentiras de novo pra, de novo, tentar encarar o sol sem ter você. É por isso que eu sempre seguro sua mão com força, é por isso que meu abraço às vezes te sufoca e que meu coração grita tão alto que te envergonha. A verdade é que eu tinha muitas teorias de liberdade e independência, mas é verdade também que eu, antes de tudo isso, nunca tinha entendido o que era mesmo o amor nessa vida.

– Rani Ghazzaoui

É triste amar tanto e tanto amor não ter proveito.
Tanto amor querendo fazer alguém feliz.
Tanto amor querendo escrever uma história,
Mas só escrevendo este texto amargurado.
É triste saber que falta alguma coisa
E saber que não dá pra comprar, substituir, esquecer,implorar.
É triste lembrar como eu ria com ele.
Mas amor, você sabe, amor não se pede.
Amor se declara: sabe de uma coisa? Ele sabe, ele sabe.

– Tati Bernardi

Sinto saudades da nossa conversa ao pé do ouvido, palavras doces seguidas de muitos gemidos.  Sinto saudades de fazer as pazes na nossa cama desarrumada e escrever nosso livro de novo sem páginas arrancadas. Aquele telefonema que você me deu, por quê não atendi mais cedo? Ainda havia tempo pra tudo, sobravam tantas horas no mundo. Eu sei que gritei na hora errada e você me respondeu com pedradas, sei também que falamos bobagens e que alteramos um pouco a voz. Seria muito para nós, fazer girar as rodas do moinho? Aquele telefonema que você me deu, por quê não atendi mais cedo?