Just in Time

Archive for setembro 2008

“Mas eu te amo também do jeito mais óbvio de todos: eu te amo burra. Estúpida. Cega. E eu acredito na gente. Eu acredito que ainda vou voltar a pisar naqueles cocôs da sua rua, naquelas pocinhas da sua rua, naquelas florzinhas amarelas da sua rua, naquele cheiro de família bacana e limpinha da sua rua. Como eu queria dobrar aquela esquininha com você, de mãos dadas com os pêlos penteados de lado da sua mão.
Outro dia me peguei pensando que entre dobrar aquela esquininha da sua rua e ganhar na mega-sena acumulada, eu preferia a esquininha. A esquininha que você dobrou quando saiu da casa dos seus pais, a esquininha que você dobrou chorando, porque é mesmo o cúmulo alguém não te amar. A esquininha que você dobrou a vida inteira, indo para a faculdade, para a casa dos seus amigos, para a praia. Eu amo a sua esquininha, eu amo a sua vida e eu amo tudo o que é seu.”

– Tati Bernardi

Depois de 27 anos e meio longe do meu querido blog, estou de volta! Se você soubessem a correria que anda minha vida nesses últimos tempos, iriam me oferecer um colchão, um chocolate quente e um cafuné, até eu dormir…! Em véspera de eleição a prefeitura não pára, consequentemente eu vou junto, tá doido demais!

To aproveitando esse super bem vindo feriadão – Hoje é aniversário da Cidade de Mesquita – pra estudar muito pra minha prova de Literatura Brasileira, que como disse o professor “virá rasgando”!!! ai ai ai… E como não sou de ferro, vim aqui rapidinho!!!

Beijos para todos, fiquem com Deus e eu JURO que quando acabarem essas eleições eu volto de maneira decente! rs

“Qual a pena pra alguém que entrou na sua vida, na sua casa, nos seus sonhos, nos seus planos e, num piscar de olhos, destruiu tudo como se tivesse esse direito?
O que sempre falo com meus amigos (como se conselho valesse de alguma coisa) é que vingança não é remédio. Nem fazer justiça com as próprias mãos. Acredito que o tempo se encarrega disso. Acredito que pessoas que usam da confiança e boa vontade das outras nunca vão se dar bem na vida. Ou não vão ser felizes. Ou nunca vão conseguir amar de verdade. Ou não mereciam a gente. Ou que a gente deve agradecer por ter se livrado de um encosto. Ou sei lá o que. Nunca fui boa conselheira. Talvez essas sejam as formas da vida punir quem brinca com o coração dos outros. Não sei mesmo. Em todo caso, deseje o mal de volta pra pessoa. Não por vingança. Só pra ver se ela é forte como você.”

– Brena Braz

Te desejo as noites sem sono
Os olhos inchados de tanto chorar
Te desejo o abraço do abandono
Um nó na garganta a te sufocar
A te desesperar
A te humilhar

Te desejo o amargo na boca
Em cada palavra que sai do teu peito
Que a minha aflição seja pouca
Perto da que tu tens direito
Te desejo o frio no leito
Só assim me deleito

Te desejo a falta de assunto
Que ninguém sussurre nos ouvidos teus
E que todos os lábios no mundo
Só sirvam pra te dizer adeus
A não ser que sejam meus
A não ser que sejam meus

– Felipe Simpatia

“Atente para o que diz.
A sua palavra edifica, eleva e agrada.
Mas também destrói, rebaixa e machuca.
O que sai de sua boca é força criadora.
A palavra proferida e pensada passa a produzir efeitos.
Não há como fazê-la retornar.
Por isso, cuide-se no falar. Evite excessos.
Regre-se pela verdade e sensatez.
Regule o tom de voz.
Não fale alto, nem seja rude.
Transmita paz, certeza, carinho, alegria.”

Pior do que uma mulher que fala o que pensa é uma que escreve…