Just in Time

Archive for março 2008

Não há nada para te dizer porque ainda não sei como dizer, o jeito de dizer, eu quero dizer. Tenho dias de verborragia e silêncio, como qualquer um. Momentos de clareza e momentos de confusão como qualquer outro. Ouço segredos de amigos, compartilho amores e ilusões, dou risada e aplaudo de pé e também me calo diante daquilo que não me provoca. Daquilo que não me move. De tudo o que não me importa e eu procuro me importar com os mínimos de cada um porque deles brotam a confiança, o cuidado, o carinho, a via de duas mãos. Eu não sei do que virá. Eu não sei do que existe entre. Eu só sei das flores. E do meu compromisso. Entre.

 

Egídio la Pasta Jr.

E no momento em que pela primeira vez pedi, você negou, você fugiu… Mas sabe, eu fico me perguntando: O que você vai dizer quando ficar evidente? Quando ficar muito na cara que não da mais certo, quando doer muito o silêncio, vai ser como? Toda vez, todas as vezes, que disser que quer me ver e não ouvir o mesmo, isso vai te matar por dentro, e vai ficar noites e noites se perguntando o que deu de errado, se foi pouco ou muito amor, se foi muito ou pouco cuidado. Um dia, vai de repente entender, vai se arrepender de ter sido tão infantil, fugindo do que mais queria por orgulho. Já nao vou te amar como antes, mas por dentro saberei que ainda dói, e isso basta. No fundo, nós dois sabemos bem qual era o problema, não era amor de menos na relação, era amor mal distribuido. Muito pra você, pouco pra mim. Ou seria o contrário(?).’
 

– Pri Conceitos

Hoje eu acordei te amando tanto. O meu amor por vc não cresce com o simples decorrer dos dias. E tampouco dimuinui com o passar dos anos. É um amor que não faz idéia do que são meses de namoro. Não sabe que 60 minutos é uma hora. Não sabe que sete dias longe, ou sete dias perto vão ser igualmente uma semana. Meu coração só sabe que de fato vc é especial. E um amor que resiste por tanto tempo assim e por tanto tempo longe, só te faz ainda mais especial! Nesses últimos meses a gente se estranhou bastante. Eu fui me irritando com as coisas que não fizemos, aquele olhar, aquela palavra, aquele abraço, o beijo na despedida, tudo isso que deixamos pra lá, um pouco por orgulho, um pouco por medo. E quando vi tinha uma lacuna de dúvidas e silêncios entre nós. Tinha aparência de briga, mas não tinha grito, não tinha certo, não tinha errado, e nem a gente sabia porque um andava na frente e o outro lá atrás. foi então que eu percebi que não quero mais isso, esse distanciamento. Chega!

Era isso que eu queria que soubesse:
Achei um lugar pra você na minha vida, um lugar bom.

…Mas eu não apareci. Eu não quis aparecer. Perdoe se eu não te liguei. Eu perdi o papel onde havia anotado o telefone de onde você está hospedado. Desliguei o celular consciente de que haveria, no meu dial, alguma ligação buscando sobre explicações. E não tenho explicações para dar. Não quero ter. E te digo muito seguramente que eu sou o tipo de homem que precisa de um bom amante. Porque tenho medo de sentir. Tenho medo do meu próprio coração. E sua chegada inesperada só me entrega essa certeza que não se conclui em frases ou pensamentos exatos. Eu não apareci porque meu coração anda sensível e confuso. Te encontrar, colocar os meus olhos dentro dos teus, tudo isso renovaria imensas certezas e gigantescas dúvidas sobre todo esse tempo que passou entre nós. Existe um laço, alguma conversa que precisa existir, alguma explicação que necessita de espaço e não me sinto preparado para jogar esse jogo. Mesmo depois de quanto tempo, você sabe dizer?

Atendi teu segundo telefonema ao acordar no susto. Justas as suas cobranças. Rouca a minha voz de quem dormiu muito mal. Fria a maneira como você conduziu o nosso próximo encontro. Sutis as sensações, que eu não havia conseguido decifrar desde a sua entrada nos meus dias. O fato é que sua ligação nesse domingo me esclareceu intimidades e dores que eu não tinha notícias desde muito tempo. E é o tempo que quando não nos resolve alguma história, faz com que ela perca o vigor. Você perdeu o vigor. Nós perdemos o vigor. Essa história de debater relações, de dar nome aos bois, de discutir intimidades pode ser muito saudável nos filmes. Na vida real faz muito mal. Especialmente quando é o silêncio quem dialoga entre as personagens.

– Egídio La Pasta Jr.

 

“Trate-se de um convite gravado
para deixarmos de lado todo esse tempo
Que temos desperdiçado.”


Engraved Invitation – Ben Harper

Allie: Por que você nunca me escreveu? Por que? Pra mim, não estava acabado, eu esperei por você durante 7 anos. Mas agora é tarde demais…
Noah: Eu te escrevi 365 cartas. Eu escrevi pra você todos os dias do ano!
Allie: Você me escreveu?
Noah: Sim… não estava acabado.. ainda não está acabado!

– The Notebook

Em 20 anos, você não se lembrará das coisas que fez.

Lembrará, porém, de cada uma das coisas que deixou de fazer.
Cada oportunidade que perdeu.
Cada momento que desperdiçou.